12 abr 2020

Principais medidas do governo brasileiro contra o Coronavírus

governo-brasileiro-contra-o-coronavirus

Recentemente, foram anunciadas diversas medidas do governo brasileiro contra o coronavírus (COVID-19).

No momento, a principal preocupação do governo tem sido preparar o sistema de saúde brasileiro para o aumento dos números de casos, conforme esperado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Governos estaduais de todo país já tomaram atitudes como a suspensão de aula e eventos culturais.

Acompanhe nosso artigo para saber quais são as principais medidas do governo brasileiro contra o coronavírus. Vamos lá?

Recomendação para cancelamento de eventos culturais e cruzeiros turísticos

São conhecidas no setor de saúde como medidas farmacológicas, as ações que buscam minimizar a velocidade da qual um vírus pode se proliferar em determinados locais. Tais medidas são de extrema importância para reduzir as chances de contato social. 

Dessa forma, elas têm, como principal objetivo, evitar a sobrecarga dos serviços de saúde e, conforme a OMS, as ações podem diminuir em até um terço o número de casos confirmados de contágios.

Atualmente, as preocupações com a saúde da população têm sido divididas em três momentos, em referência com o grau de disseminação da doença.

Neste momento, todos os eventos como shows, jogos de futebol, manifestações, foram cancelados ou adiados de acordo com as recomendações do ministério da saúde. 

Viagens em cruzeiros turísticos tanto nacionais, como internacionais, também precisam ser cancelados, uma vez que o atendimento a pacientes de tornar mais difícil em alto mar. 

 

Suspensão das aulas e home office 

Devido a possibilidade de aumento dos casos de transmissão comunitária da doença coronavírus, diversos estados passaram seguir recomendações mais severas.

Em alguns estados, o Ministério da Saúde, desde o dia 13 de março, recomenda que as empresas passem adotar o trabalho remoto. Além disso, as aulas também tiveram seu calendário interrompido.

Até o momento, o período de quarentena ainda não foi instaurado, ao contrário das muitas pessoas pensam. 

As medidas tomadas resultam no isolamento social, diferente do período de quarentena, no qual é mandatório e envolve até mesmo o uso das forças armadas. 

Medidas provisórias governamentais 

A presidência de nosso país divulgou uma medida provisória que libera cerca de R$5 bilhões para serem utilizados em medida de combate do novo coronavírus para o uso do Ministério da Saúde e Educação.

Conforme João Gabbardo, secretário executivo, os recursos já podem ser utilizados pelos Sistema Único de Saúde e direcionado para demais ações envolvidas no combate ao novo vírus.

Parte de toda a verba será utilizada também pelos órgãos de vigilância sanitária, locação de novos leitos em hospitais e compra de materiais e medicamentos. 

Além disso, uma parcela dos recuso está destinada aos hospitais universitários. 

Reforço no programa mais Médicos 

Recentemente, o ministério da saúde publicou um novo edital que visa fazer o contrato de mais de 5,8 mil novos médicos.

Desse modo, serão admitidos profissionais formados tanto no brasil como também em países estrangeiros, desde que possam ter seus diplomas reavaliados em nosso país. 

O salário pago pelos serviços destes profissionais está previsto para R$12 mil mensais, tendo o contrato de serviços com duração de 12 meses. 

Os médicos contratados pelo programa serão enviados para mais de 1.800 municípios brasileiros, sendo a grande maioria das vagas capitais dos estados. 

Capacitação dos laboratórios 

Uma das principais medidas do governo brasileiro contra o coronavírus, desde o início do mês de março, em conjunto a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Ministério da Saúde, é a realização de treinamentos com todos os técnicos de laboratórios públicos dos estados brasileiros. De modo que possam estar preparados para realizar o teste em pacientes que apresentam suspeitas de infecção pela doença do novo coronavírus.

O curso de capacitação inclui recomendações sobre o correto procedimento de amostras, técnicas de biossegurança, dentre outros importantes aspectos. 

Além disso, a Fiocruz iniciou a produção de kits de proteção que poderão ser utilizados durante o atendimento dos casos suspeitos.

Ações de benevolência como essas têm se espalhado por todo país, como no caso de algumas redes de laboratórios privados que desenvolveram os seus próprios kits. 

Aumento no número de leitos 

Na última semana, o governo anunciou a locação de mais 2 mil vagas para leitos em unidade de terapia intensiva (UTIs) como uma das principais medidas do governo brasileiro contra o coronavírus

Além disso, o Ministério da Saúde, ainda espera que, com base na medida provisória, consiga adicionar mais leitos, que serão pagos com a verba de auxílio.

Agora, a ideia principal do ministério é conseguir ampliar o número de postos de saúde que possam funcionar com novo horário estendido.

Dessa maneira, o horário de funcionamento das unidades passa para 22 horas. 

Segundo a organização de saúde, cerca de 90% dos casos confirmados de coronavírus poderão ser tratados nos postos de saúde de todo o país.

Demais medidas do governo brasileiro contra o coronavírus

Além de todas as medidas já citadas no decorrer do nosso artigo, ainda existem outras soluções tanto para a população quanto para as empresas.

Uma delas é o adiamento do prazo para declarar o Imposto de Renda que, agora, pode ser feita até o dia 30 de junho.

Outra medida diz respeito às empresas, que agora podem reduzir em até 70% tanto do salário como também na carga horária de seus funcionários.

No entanto, deve-se reforçar que os profissionais que passarem por essas alterações possuem à sua disposição uma parcela do seguro desemprego.

Reunimos em nosso artigo as principais medidas do governo brasileiro contra o coronavírus. Acompanhe nosso blog e tenha acesso exclusivos ao nossos conteúdo e dicas que podem ajudar você e sua empresa.